A fase de projetos para a construção do VLT do Subúrbio está em pleno desenvolvimento e todos os setores da Skyrail estão motivados para o início da obra. Na parte de Sistemas, a contratação da empresa SENER foi um marco para definir o futuro do VLT, especialmente na fase de operação. Para que o funcionamento de sistemas como controle dos trens, abertura automática de portas e telecomunicações aconteça de forma eficiente, a parceira com a empresa espanhola será de suma importância. Afinal, a SENER está envolvida em grandes projetos pelo mundo e, aqui no Brasil, é especialista em obras metroviárias, como as linhas 15 e 17 (São Paulo), que têm a mesma tecnologia a ser implantada no nosso VLT. No total, a SENER atua em quatro grandes setores: Aeroespacial, Infraestrutura, Energia e Marítimo.

O grupo conquistou uma forte reputação internacional como projetista e fornecedor de sistemas de transporte inteligentes que incorporam soluções de alta tecnologia. De acordo com a engenheira da SENER, Priscila Ferreira, os 60 anos de experiência da empresa vão contribuir muito na construção do VLT do Subúrbio. “Possuímos sólidos conhecimentos e experiência para empreender nessa iniciativa em parceria com a Skyrail Bahia e concluí-la efetivamente, dentro do prazo, orçamento e qualidade técnica. Nossa equipe é formada por engenheiros especializados, com um histórico comprovado de fornecimento em soluções para organizações na área de transporte urbano, monotrilho e sistemas”, garantiu. No total, a SENER já trabalhou em estudos e projetos para mais de 15.000 km de via, o que a torna uma das empresas líderes neste setor.

Para Walter Neto, gerente de Sistemas da Skyrail Bahia, o know how da SENER será crucial em várias disciplinas. “Ela fez toda a tratativa entre nós e a BYD China, atuando do básico até os projetos executivos. Foram definidos conceitos sobre como será cada sistema, como energia, subestações, sinalização, telecomunicações, etc. Desde esta fase, o trabalho foi muito completo. Agora estamos trabalhando no projeto executivo e na aprovação deste pelo Governo do Estado. Desta forma, tudo correrá como planejado até a fase de operação do VLT”, destacou o gerente.

Além da alta tecnologia a ser projetada para o sistema, a SENER destaca a responsabilidade em atuar em um meio de transporte que vai promover mais qualidade de vida para a população do Subúrbio Ferroviário de Salvador. “Para a SENER projetar soluções de engenharia para um projeto tão importante como o VLT do Subúrbio de Salvador, que vai mudar a realidade social e econômica de uma região tão debilitada socialmente, é a oportunidade de entrar para a história das famílias carentes que serão beneficiadas e também da cidade, que terá de fato uma transformação visual e de mobilidade por completo, dando ainda mais brilho a suas belezas naturais. Podemos acrescentar ainda que participar deste projeto é fazer valer um dos focos centrais da Engenharia que é projetar sonhos e criar meios para viabilizá-los, os transformando em realidade”, concluiu Priscila.

Tecnologia CBTC

O VLT do tipo monotrillho da Skyrail Bahia conta com sistema de sinalização baseado na tecnologia CBTC (Controle de Trens Baseado em Comunicação), o que há de mais moderno em termos de controle da circulação e velocidade dos trens. Este sistema permite o conceito de bloco móvel e, consequentemente, um intervalo entre trens mais reduzido, proporcionando uma maior regularidade do serviço para os usuários. A velocidade do trem é supervisionada a todo momento pelo sistema de sinalização, aplicando a frenagem automática do trem para prestação de serviço aos usuários nas paradas existentes.

Através de um centro de controle e operação (CCO) integrado, é possível o monitoramento dos trens e estações através das inúmeras câmeras instaladas nas paradas e ao longo da via. Toda a operação remota dos sistemas de energia e telecomunicações poderá ser realizada pelo CCO, tais como os seguintes exemplos:

  • Manobras elétricas em subestações;
  • Aviso sonoro e informações aos passageiros nas estações;
  • Acompanhamento do controle de acesso às estações;
  • Portas de plataforma nas paradas para maior segurança dos usuários;
  • Monitoramento do posicionamento dos trens nas vias principais e no pátio de manutenção e operação.

Desta forma é possível a garantia da segurança e conforto operacional aos usuários do sistema.