Carlos Banchik, presidente da Innova Technologies, veio conhecer a equipe técnica que está à frente do desenvolvimento do VLT. O monotrilho que vai transformar o sistema de transporte do subúrbio de Salvador está sendo projetado com alta tecnologia e o que há de mais moderno em sistemas de modais elétricos. Carlos Banchik, que é ex-presidente da Confederação Internacional de Monotrilhos, se reuniu com os responsáveis pela engenharia civil e sistemas da Skyrail Bahia. Depois de analisar alguns detalhes do projeto, eles visitaram os 23 quilômetros de alinhamento do empreendimento e o canteiro da obra do pátio de manutenção da calçada, que já está com quase toda a etapa de terraplanagem concluída. Em seguida, visitaram as obras da futura fábrica de vigas de monotrilho que está sendo construída em Simões Filho, projetada para atender às especificações do VLT. Serão produzidas cerca de 1.800 vigas de até 26 metros de comprimento e 65 toneladas que vão compor a via elevada do projeto.

 

Visita às obras da fábrica de vigas que está sendo construída em Simões Filho

A Innova, que é referência mundial em consultoria em construção de monotrilhos com projetos em países como Egito, Tailândia e Estados Unidos, também está na equipe de consultores técnicos estratégicos da linha 17 do monotrilho de São Paulo, projeto também com a atuação da Skyrail, onde serão fornecidos 14 trens com composições de 5 carros e os sistemas principais.

Para Carlos Banchik, o projeto do VLT foi desenvolvido para possibilitar os deslocamentos de forma segura da população que mora no entorno da via, além de gerar uma maior integração do subúrbio com as outras regiões da cidade. “É muito gratificante como engenheiro fazer parte do desenvolvimento de projetos que trazem propósito e significado para a vida das pessoas.” Diz, Carlos Banchik.

Carlos Banchick, de branco, analisando detalhes do projeto do monotrilho junto ao time de engenharia da Skyrail Bahia.

O engenheiro de projetos da Skyrail Luan Passos coordena toda a parte técnica do projeto executivo civil e está acompanhando a consultoria da Innova aqui em Salvador. Segundo ele, a Innova trouxe um aprimoramento tecnológico ao processo construtivo, que surtiu bons resultados ao monotrilho de Bangkok, foi aprimorado e está sendo aplicado no monotrilho do Cairo em mais de 100 km de extensão. Agora está sendo novamente aprimorado para ser aplicado no monotrilho baiano. “É uma metodologia que traz segurança, qualidade ao produto final e economia no processo fabril e construtivo. Além de todo o escopo que será desenvolvido de controle de qualidade, elaboração de projetos mecânicos para incorporação ao projeto civil e por fim, todo o apoio que será oferecido durante as fases de construção.

 

UM POUCO MAIS SOBRE O VLT

Serão mais de 23 km de extensão e 25 paradas ligando o bairro do Comércio à Ilha de São João, em Simões filho e também a Calçada à estação do Acesso Norte do sistema metroviário, onde será feita a integração entre os dois modais e os ônibus.

Hoje só o trecho Calçada-Ilha de São João, quando é feito de ônibus, dura mais de 1 hora. Com o VLT, o passageiro vai gastar cerca de 40 minutos.

O VLT terá menor impacto ambiental em relação aos outros transportes sobre trilhos, pois é movido à propulsão elétrica, sem emissão de agentes poluentes que prejudicam o meio ambiente.  A infraestrutura necessária para o VLT operar exige uma faixa suspensa estreita, sua tração elétrica torna o veículo estável e silencioso e as paradas foram projetadas considerando estruturas modernas, leves e vazadas, o que permitirá uma maior ventilação, iluminação natural conforto e segurança aos usuários. É o VLT trazendo agilidade e melhora na qualidade de vida de mais de 600 mil moradores do subúrbio de Salvador.