As licenças, autorizações e anuências necessárias para o início da implementação do VLT do Subúrbio estão em andamento nos órgãos federais, estaduais e municipais. A mais recente, publicada em 28 de abril, foi emitida pela Fundação Gregório de Mattos (FGM). A anuência foi concedida pois foi verificado pelo órgão que a passagem do VLT não terá impacto físico e nem visual próximo a três bens tombados pela Fundação.

Dentre os bens, foi também percebido que a implementação do novo modal não vai afetar o terreiro Ilê Axé Kalê Bokun, em Plataforma, visto que o VLT vai passar a mais de 400 metros do local. Localizado na Rua Antônio Balbino, a casa religiosa foi reconhecida em 12 de Março de 2019 como Patrimônio Cultural de Salvador, com aval da Prefeitura e da Fundação Gregório de Mattos, tornando-se o primeiro terreiro da nação Ijexá tombado do Brasil.

“Assim, avaliamos e anuímos não haver impactos nos três bens indicados tombados pelo município, demonstrado nas análises e simulações”, destacou o documento assinado por Antônio Gonçalves Bitencourt, arquiteto urbanista e gestor de Equipamentos Públicos da FGM.

*FOTO: “Painel de Azulejos com Relevos”, do artista plástico Carybé, localizado no Banco do Brasil, Comércio. Fonte: Google Street View